sábado, 26 de dezembro de 2009

Festa de Natal 2009



Há festa na escola

Talvez tenha sido apenas mais uma festa de Natal, das muitas que acontecem nesta época., talvez. Talvez estejamos a puxar a brasa para a nossa sardinha, talvez. Mas ter uma festa de Natal onde os idosos se deliciam com uma peça infantil de teatro e os jovens mostram tanta maturidade, só pode ter acontecido em Vila Cova.

Com efeito foi a sensação que ficou após vermos jovens de setenta ou oitenta anos tão interessados na peça infantil “Mozart – O Menino Mágico”, interpretado pelo grupo de teatro “Urze” e a forma tão madura, tão profissional, como os jovens de Vila Cova interpretaram, num estilo mais moderno, em jeito hip-hop, Cenas do Natal e do nascimento do Menino Jesus.

Pasmem pois aqueles que pensam que em Vila Cova não se faz nada de jeito. Quando se tem jovens de tanto talento como a Vivieen e o seu violino, a Cristiana e a sua voz melodiosa, que abriram o espectáculo, que culminou com nosso o talentoso grupo de actores, que liderados pela surpreendente encenadora Sara Marinho nos deram uma demonstração de que se quisermos podemos fazer coisas muito bonitas.

Para finalizar em beleza esta festa que teve o condão de juntar miúdos e graúdos numa confraternização que há muito não se via, não se sabe bem de onde, apareceu o Pai Natal carregado de presentes que distribuiu pelos mais novos.

(Texto escrito por Óscar Carvalho)

sábado, 19 de dezembro de 2009

Festa de Natal de Vila Cova na imprensa

Em "A Voz de Trás-os-Montes" de 17 de Dezembro de 2009

sábado, 5 de dezembro de 2009

VAMOS JUNGUER AS VACAS



A propósito de um comentário colocado por um anónimo no “post” “vamos iluminar Vila Cova”, alterei a intenção inicial de responder ao comentário passando para um novo “post”.


Dizia o nosso leitor:

"AO CRIADOR DESTE ESPAÇO.

PERGUNTO SE ESTE É O LOCAL ONDE SE POSSA, FALAR, ABORDAR, COMENTAR E/OU SONHAR COM CADABULHOS, SEITAS, TEMÃO, ARADOS, CHARRUAS,
GRADES, TOCOS, CEPAS, SOCOS, TAMANCOS?”

Este é o espaço para falarmos de tudo isso e de muito mais. Aqui podemos, melhor, atrevo-me a dizer, DEVEMOS, falar dessas coisas, e de outras que constituem a nossa história, mas também do presente e da perspectiva de futuro.

Para o nosso leitor, e para todos os outros, se é a primeira vez que vêm a este espaço, hajam como se seu fosse. Escreve, descreva, opine, critique, sugira, só gostava que os que como eu amam a nossa terra, se identificassem, para que os pudesse-mos tratar pelo nome.

Até eu ter criado este pequeno e imperfeito espaço na rede, não havia uma única referencia no espaço cibernético sobre a “nossa” Vila Cova. Para quem não concorda, pode sempre criar outro. No entanto, devemos sempre o respeito às pessoas, que embora imperfeitas, tentam fazer alguma coisa pela sua terra.

Vamos falar sobre as bessadas, sobre as seitas, sobre os socos, sobre o capucho, porque ao falarmos sobre tudo isto, estamos a falar sobre o amor que temos á nossa terra e às suas gentes.

VAMOS JUNGUER AS VACAS,

É o um desafio que lanço a todos quantos visitam este espaço. Divulguem esta iniciativa sugerida pelo nosso leitor. Puxem pela memória, perguntem, escrevam e enviem a vossa descrição sobre as várias actividades e porque não, sobre as lendas da nossa terra. Nós, faremos a revisão se for o caso, e publicaremos inicialmente neste espaço, ou em outro que surgira brevemente, assim espero. Quem sabe não escreve-mos um livro, nem que seja electrónico.

(Nota: ao que nós chamamos "junguer" as vacas, alguns autores chamam "jungir" e outros "junger". Parece-me no entanto que devemos efectivamente manter a nossa denominação.)